terça-feira, 30 de junho de 2009

Nova Ortografia


Essa história de nova ortografia tá me deixando pê. Passei minha vida inteira escrevendo "idéia" com acento agudo, e agora não é mais assim. Percebi meu erro de dois posts atrás só agorinha. Prometo que vou correr atrás das novas regras. Não por mim, mas pelos filhotes. Ninguém merece aprender do jeito errado com a própria mãe!!!!!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Fechando junho


Adoro festas juninas. Sábado que passou teve a da escolinha da Olivia, foi muito bacana. Comes e bebes típicos, amo, amo, amo! Fiz uma música pro evento, que também comemourou os 20 anos de existência da escola. Posto aqui pra dividir com vocês. Produção caseira, finalizada no tempo livre entre fraldas e afins.

Abre a roda no gramado
Todo mundo dando as mãos
Ninguém vai ficar parado
Nessa comemoração

Vinte anos de alegria
Criançada sabe bem
Uma festa todo dia
A lembrança vai além

Junto com São João
Vamos estourar rojão
Dança, mexe a trancinha
Tira o chapéu
Olha lá o balão
Quem quiser pode entrar
É tempo de brincar
Balança a bandeirinha
No colorido dessa emoção

Então hoje a gente canta
E desenha um caracol
Ser feliz é ser criança
Na escola da Carol
video

Idéias

E as idéias surgem a todo momento...amigas mães, que tal me mandar os desenhos da criançada pra gente postar aqui????? Tô esperando!

Da Broadway pra Brigadeiro


Preconceitos à parte, nunca fui muito fã das montagens brasileiras para os musicais estadunidenses. Mas, pelos filhos, vale tudo. E ontem levei a princesa pra ver "A Bela e a Fera", no Teatro Abril. Fiquei de queixo caído! Os atores, que sempre deixavam o canto a desejar, estão mandando muito bem! A orquestra afinadíssima! Orgulho de ver. Quem puder assistir, vale a pena! Mas passem longe das banquinhas com produtos licenciados ao final do espetáculo...uma rosa de plástico, com uma simples etiquetinha da Disney, é vendida a quinze reais!!!

Obs.: o desenho de hoje foi honrosamente feito pelo André, amiguinho da Olivia (teve a mãozinha da mamãe dele, Maricy, que se prontificou a fazer a princesa, já que ele definitivamente não quer saber dessas coisas...)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Luto absoluto


Tô triste. Tão incrédula que, ao ler a manchete da morte do ídolo pela primeira vez, achei que talvez o furo de reportagem fosse, como muitas vezes a ansiosa imprensa se mostra, um erro. Não. As horas se passaram e criou-se um buraco no coração. Um silêncio que só poderia ser quebrado pela magia do som daquele que dividiu as águas na música pop. O que ele foi como ser humano, nem penso. Essa é uma bagunça que não me diz respeito.
Agora, pra esse post ficar mais divertido, relembro um episódio que vivi com a Olivia ano passado, quando ela tinha acabado de fazer três anos...
Na ânsia de mostrar a música incrível de Michael Jackson, surpreendi a pequena numa tarde chuvosa de sábado, com um balde de pipocas na mão, dizendo que assistiríamos a uma coisa sensacional. Escolhi a dedo a faixa do DVD e...pasmem! Num lapso sem-noção, fui direto na Thriller!!! Aqueles monstros que até hoje me assustam começaram a aparecer, a Olivia de boca aberta, eu desacreditando no que tinha acabado de fazer, mudei a faixa, ela começou a chorar, queria ver, eu queria me matar e ao mesmo tempo ver também, a música começou e quem ficou de boca aberta fui eu. Mais uma vez, como sempre. A monstrolândia dançando, eu imitando (quem nunca tentou essa?), rindo e cantando, e a Olivia...hipnotizada. Voltei no tempo, e me vi no lugar dela, quando vi o clip pela primeira vez. Só que dessa vez fui longe demais. Ansiosa demais. Efeito Michael Jackson...
Alguém tem dúvidas por que a Lili acordou assustada naquela noite?

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Por falar em sonho


Tim Burton acabou de rodar o seu Alice no País das Maravilhas, com estréia brasileira em abril de 2010. Se o desenho já é uma loucura, imagine o filme! Amo! Amo! Amo! 
Ontem fui na Santa Paciência, e na arara das liquidações (basicamente o que me interessa) têm umas últimas peças de uma confecção que criou uma série de roupinhas baseadas no desenho da Alice. O sorriso do gato, o coelho apressado, a rainha doida em estampas lindas!

O Leo, eu e o sono


Ouço você cantando "boi, boi, boi, tá cum cum cum cum" e percebo que um soninho gostoso se aproxima. Eu também estou bem cansada, ontem passei boa parte do dia andando e me perdendo na 25 de março, carregando sacolas com os brindes da festinha da sua irmã. Um descanso no comecinho da tarde é bem vindo. A gente se ajeita na minha cama, entre os almofadões macios, eu viro uma conchinha pra te proteger e desenrolo um cobertor pra nos aquecer. Você vai ficando molinho, embora lute bastante pra fechar os olhos. É que o mundo tem coisas demais pra ver mesmo, e sua irmã, que não quis dormir com a gente, fala e canta lá longe, com aquela vozinha linda e aguda, e te desperta de vez em quando. Mas eu insisto. Por nós dois. Você pega uma mechinha do meu cabelo, acariciando os fios, enquanto eu babo e acaricio seu pequeno e fofo rostinho. O dedão esquerdo já calejado começa a escapar da sua boca, e você, como num susto, gruda-o novamente entre os lábios, num divertido ritual do sono. Te vejo amolecer cada vez mais. As piscadas ficam mais longas, até que você relaxa de vez e cai nos braços de Morfeu. O silêncio quebrado pela sua respiração me hipnotiza. Deixo de pensar nas tarefinhas da semana, nos fatos e nos problemas do dia-a-dia, e curto os segundos ao seu lado. Com a mão sobre seu corpinho, sinto seu pequeno coração bater. Vou ficando molinha também. Fecho meus olhos. Sonho com você.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A festa


Numa tarde convidativa, entre as motocas espalhadas e os brinquedos por hora esquecidos, a mesa de madeira rústica, no centro da larga varanda, era o centro das atenções da turma. Exibia o que de mais apetitoso uma criança pensa existir: salsichas, pipoca, bolinhos, pão de queijo e suquinhos. Irresistível. As mãozinhas ávidas pelas delícias se amontoavam de tempos em tempos sobre as tijelas e sobre os pratinhos. Pequenos animaizinhos cheios de energia devoravam o alimento sem vergonha nenhuma. Um suco derramava aqui, um pãozinho caía ali, e as crianças corriam aqui e ali. Todos tinham pressa de brincar, embora o tempo, naquele momento, parecesse parar. Na retaguarda, as mães observavam o movimento e se divertiam como as crianças. E comiam também, é claro. 
Lá fora alguém deve ter passado e pensado "tem festa rolando". Os gritos infantis e as gargalhadas adultas tornavam isso óbvio. Era realmente uma festa. Mas não qualquer festa. Era a melhor festa infantil que já fui em minha vida. Simples e singela, tendo o céu delimitando o espaço e os passarinhos como trilha sonora. Uma festa decorada com o verde das folhas dos Agapantos, das moréias, da grama-amendoim. Sem frescuras, sem exageros. Uma festa com gente chegada. Leve, aconchegante, que fez meu coração sorrir de verdade. Uma festa como as de antigamente, artesanal, no quintal. A anti-festa em buffet. Enfim, uma festa que realmente fez valer a sua definição no Aurélio: "reunião alegre para fim de divertimento". 
Em breve devo organizar a festinha da minha pequena. E a festa do André, que ficou inesquecível, é o meu modelo. Quem sabe chego lá. Maricy, posso imitar aquele bolo de cenoura e chocolate com mm's (que você pacientemente colocou, um a um, sobre a cobertura)?

terça-feira, 16 de junho de 2009

Louca do bem

Acabou de acontecer. E eu posto pra não esquecer. Como ninguém filmou, registro em palavras a minha última trapalhada, testemunhada pelas crianças. Banheira cheia, crianças fofas e felizes peladas, tomando o banho de cada dia, celebrando o hoje. Terminadas as tarefinhas de ensaboar, passar o xampu e enxaguar, resolvi virar criança com eles e brincar. Fiz minhas palhaçadas famigeradas, perdi o equilibrio e, ao tentar ajoelhar, enfiei metade de meu corpo na banheira, incluindo meu rosto. Recobrei a sanidade, tive um ataque de riso sem fim, pingando, enquanto os dois me olhavam um pouco espantados. Se eles soubessem se expressar como os adultos, provavelmente diriam "mãe, cê tá ficando louca?". Acho que sim, mas sou uma louca do bem, alucinada pelos filhos. Ainda bem!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Pressa de criança

Um dia chuvoso, sem nada pra fazer lá fora, só pipoca e filminho em casa...

 - Mãe, me enxuga logo, tô com pressa!

 - Pressa? Criança não tem que ter pressa!

 - Claro que tem, mãe!

 - Como assim, filha?

 - Pressa de cor de rosa, ué!

 - ???...

O papo foi bem louco, mas pairou no ar uma profunda questão: será que ando apressando minha filha sem perceber???

domingo, 14 de junho de 2009

E por falar em boas novas


Finalizei minha participação como preparadora vocal no disco da pequena Maisa, aquela garotinha que o Silvio Santos adora provocar e que deu o que falar nas últimas semanas. Montamos um estúdio no quarto dela, a pedido dos pais que não queriam alterações na rotina escolar da filha, e passamos quinze dias de ensaios, gravações, risadas e surpresas. A garota é incrível, doce, esperta e extremamente musical. Fiquei encantada. O disco estará em breve nas lojas, e eu espero que a crítica goste. Foi produzido pelo maridão Otavio, que não economizou nos arranjos e contou com a ajuda de músicos de primeira. As músicas são bem legais, e eu consegui participar do projeto como compositora e backing vocal também!
E foi por isso que sumi daqui. Fiquei um pouco longe da rotina, dos meus filhos e de minha casa, mas me senti muito feliz em fazer algo tão diferente e inédito. Mais um momento bacana, cheio de história pra contar.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Boas Novas


Saudades daqui. De clicar, navegar, rir e babar. Pois é, não sei se já aconteceu com vocês, às vezes a coisa na tela é tão interessante e incrível (não, não fico perdendo meu tempo com pornografias internéticas), que me flagro de boca aberta prestes a derramar minha baba no teclado. Um vídeo engraçado, uma música nova ou do passado, uma notícia boa pra ficar antenado. E, nessas, fui parar num site absurdamente maravilhoso, idéia simples mas genial, e que faltava pro dia-a-dia. Pelo menos pro meu. Trata-se do Boas Novas, site que reúne notícias positivas do mundo todo, idealizado por Rui Drever, um empresário uruguaio, que vive em São Paulo. Segundo ele, a idéia não é nos isolar dos fatos críticos, mas sim deixar o que é ruim de lado por conta da ênfase (muitas vezes sensacionalista) que a mídia já dá, valorizando-se assim um conteúdo diferente, com fatos geralmente escondidos das grandes manchetes. Site adicionado aos preferidos. 

E, em breve, as minhas boas novas. Estou de volta, meus queridos!

Obs.: o desenho acima foi feito há algum tempo atrás, quando o Leo tinha pouco meses de vida.