terça-feira, 26 de agosto de 2008

É dose!




Mãe não pode ficar doente, já disse minha mãe (xiiii, já começei com esse papo!!!)...e se os filhos também estão doentes, é drama na certa. A casa fica um gemido só, numa manha coletiva, e não deixar a peteca cair requer um esforço sem tamanho...mesmo com a cabeça latejando, o corpo dolorido e o nariz sem dar trégua. Sem contar que é de cortar o coração ver uma criança doente, sem vontade de brincar, sem ânimo para interagir. Mas tudo isso é inevitável, traz maturidade pro corpinho deles e pra gente, "forma caráter", nas palavras de meu marido (opa, hoje é dia de citação!).
O curioso, na verdade, é a habilidade que adquirimos para administrar tantas doses de remédios...5 ml do antitérmico "x" para a criança maior, que se insistir em ter febre alta deve tomar 4 ml do antitérmico "y" três horas depois...o menor precisa de doses diferentes e menores, mas pode ser com os mesmos medicamentos (ufa, pelo menos isso!)...pra tosse, xarope caseiro três vezes por dia, mas só na criança mais velha...inalação três vezes por dia também, nos dois...devemos oferecer água o tempo todo, pois ajuda...também devemos limpar o narizinho deles sempre que possível...dar mais de um banho por dia em cada um para aliviar o mal estar...medir a febre sei lá quantas vezes...dar muito carinho também, pois nessa hora eles querem a gente e a gente só quer ficar perto deles...a coisa aumentou e virou dor de ouvido? Paninho quente pra aliviar e mais remédio!...o outro não pára de chorar? Será que é dor de garganta? Sim, pois cada um reage de um jeito...uau! 
E a mamãe? Já tomou seus remédios? Tá doente ainda? Isso é luxo...quem diria...mãe doente é luxo...e é dose também!


segunda-feira, 25 de agosto de 2008

E o Leo também ganhou música


Da mamãe e do papai, feita com o mesmo carinho, pra celebrar a sua chegada! Quando comparamos as duas - da Olivia e do Leonardo - , ficamos surpresos com o quanto nos aproximamos do jeitinho particular de cada um, mesmo antes de conhecê-los, ao escrever as letras, compor as melodias e fazer os arranjos...é a boa e velha intuição!

Nova vida que começa
Alguém já vai cantar
Tudo pronto, tudo é festa
Quando você chegar

Coração batendo forte
Na hora de te encontrar
Emoção por toda a parte
Quando você chegar

Mais um anjo pequenino
Vem pra nos ensinar
Muito amor, muito carinho
Quando você chegar

Colorindo todo o céu
Com estrelas de papel
Quero ver o teu sorriso, Leo
Se abrindo livre para amar

A Lili tá te esperando
Pro mundo te mostrar
Conta as horas e os segundos
Pra quando você chegar

Colorindo todo o céu
Com estrelas de papel
Quero ver o teu sorriso, Leo
Se abrindo livre para amar
Vem girar teu carrossel
E também trazer o mel
Quero ver o teu caminho, Leo
Se abrindo num imenso mar
Quando você chegar

Nova vida que começa
Alguém já vai cantar
Tudo pronto, tudo é festa
Quando você chegar!




video

Reestréia

Ufa! Quanta água passou por baixo da ponte...
A segunda gravidez, enjoada que só ela, consumiu minha energia de uma maneira que parei com tudo! O tempo que sobrava era quase nulo: ora vomitava, ora dormia, ora cuidava da primogênita, cheia de pique e na idade da manha. Aí nasceu o príncipe: bebê bonachão, mas muuuito exigente! Gente, o figura não dormia (quem disse que dorme hoje?!!...mas isso é pra outro capítulo, o do sono, que será melhor desenvolvido mais tarde), eu quase fiquei louca e o blog foi definitivamente deixado pra trás. A brisa da esperança soprou e, passados sete meses do nascimento do Leo, resolvi voltar a postar meus desabafos, mas não me lembrei do login, muito menos da senha...e o Berreiro original, com umas parcas postagens, está perdido na blogosfera. Quem quiser recordá-las (ou conhecê-las) é só acessar www.berreiro.blogspot.com...as intenções foram as melhores, garanto!!!
E nesta semana de reestréia, agora com novo endereço, muita idéia escrita pra desentupir a cachola...e fica registrada a promessa - agora compromisso - , de não mais abandonar este espaço tão valioso! Bem vindos!